• Home
  • Posts RSS
  • Comments RSS
  • Edit
  • Chuvas de março

    4 de mar de 2011
    Sonho com esse dia a tanto tempo, e hoje, que você está mais perto de mim do que em qualquer dia do último ano, a unica coisa que eu consigo sentir é medo. Medo da sua reação quando me ver, medo da minha reação ao te ver, medo do seu toque não provocar mais aquela deliciosa sensação em minha pele, de você me ver como mais uma, ou só um objeto. Medo de me dar conta de que realmente sou louca, e que esse amor já evoluiu pra um estado irremediável. Medo da dor que vou sentir quando tiver que partir. Medo de perder o resto da lucidez que sobra em mim. Porque amor não combina com sanidade nem com nada que faça sentido. Mas amor combina com medo, e o meu maior medo é você. Tenho medo desse amor que sinto por você, porque nunca vi ninguém descrever um amor tão intenso. 
    Olhando pela janela dá pra ver a chuva, tem chovido muito; dizem que são chuvas de março. Essa chuva me remete ao meu interior, à minha alma: Chove muito, acontecem muitas tragédias, mas quando o sol volta a brilhar a gente se esquece de todos os tormentos. Espero que as chuvas de março passem junto com meu tormento, e quando eu estiver pertinho de você, só haja sol. 

    0 comentários:

    Postar um comentário