• Home
  • Posts RSS
  • Comments RSS
  • Edit
  • Deus,

    30 de set de 2010
    põe teu olho amoroso sobre todos os que já tiveram um amor, e de alguma forma insana esperam a volta dele: que os telefones toquem, que as cartas finalmente cheguem … Sobre todos aqueles que ainda continuam tentando, Deus, derrama teu Sol mais luminoso.

    Eu continuo tentando, juro. Tento com todas as minhas forças me lançar cada dia com vontade. Esforço-me sempre pra sorrir, pra me divertir, pra abrir minha mente e meu coração pra outras pessoas alem de você. Saio; brinco, bebo e converso com outras pessoas tentando tirar você da minha cabeça, mas em sorrisos alheios eu vejo você, em outros olhos eu vejo você, e até em outros beijos eu sinto seus vestígios. Não há modo de tirar você da minha cabeça, mesmo com minhas saídas pra lugares onde não pensaria em você (pode parecer incrível que essa cidade me traga lembranças de você, mas trás), com minhas frustradas tentativas de esquecer seus beijos colando minha boca em outras bocas, procurando braços onde os abraços se encaixassem como era com você. Tudo em vão, meu bem. É impossível, e tudo o que eu mais sonho é ouvir meu celular tocar, ou uma carta chegar, ou até uma janelinha do msn chamando, dizendo que você sente minha falta e de tudo que nós éramos.




    Velejando, viajando, sol quarando
    Meu querer, meu dever, meu devir


    E eu aqui a comer poeira
    Que o sol deixará
    Não sei por que nessas esquinas vejo seu olhar

    E numa batida

    28 de set de 2010
    mais forte da percussão, num rodopio, girando juntos, ela pediu:
    - Deixa eu cuidar de você.
    Ele disse:
    - Deixo.


    Acho que tenho sei lá, o dom de sentir quando as pessoas não tão bem. E eu sei que você não ta bem. Nem preciso conversar com você pra saber disso. Não preciso nem mesmo olhar pra você pra saber disso, eu sinto. Sinto que você sente vontade de chorar sem motivo, sinto que você queria um abraço reconfortante, sabendo que a pessoa que te abraça realmente te entende e realmente tá do seu lado. Acho que você nem sente tanto minha falta, acho que você não acredita que eu realmente te faço bem, na verdade acredito que você nem se lembra mais daqueles tempos. Mas eu me lembro, eu lembro como você me fazia bem, e lembro que eu te fazia bem também, lembro como você sorria com vontade, lembro que ficávamos horas no telefone rindo de coisas completamente sem sentido, lembro que éramos felizes. E hoje eu não te vejo feliz mais. Não sei se eu não quero ver o quanto você ta feliz, ou realmente tem algo errado com você. Mas eu realmente acho que não é normal sonhar com você toda noite, não sonhos comuns, mas de você gritando, pedindo socorro e ajuda, chorando como nunca. E eu realmente tenho ficado preocupada, tenho pensado muito em você, em como te ajudar. Tenho sonhado acordada com o seu abraço. Tenho me controlado fortemente pra não te oferecer ajuda, um braço, uma perna ou um ombro pra chorar. Tenho pedido a mim mesma pra ter forças de não te dizer o que eu realmente sinto, porque sei que você não me deixaria te ajudar. 

    Olha cara,

    27 de set de 2010
    se você der uma voltinha na cidade ou olhar pela janela vai ver que o depósito de lixo lá de fora é muito maior! Quando a gente está se sentindo assim é só olhar em volta - dar o tal de look-around -, aí você vai ver que não está tão mal assim.


    É o famoso ‘rir da desgraça alheia’. Às vezes deixa a nossa vida mais fácil olhar em volta e ver quanta podridão existe lá fora, quanta gente suja, quantas pessoas mal caráter, cruéis. Ou até quantas pessoas tristes, desamparadas; com o coração vazio de sentimento, ou cheio de dor e mágoas. Milhares de pessoas com problemas muito maiores que os meus. Outro dia vi uma senhora chorando na porta de sua casa, com uma foto na mão, suponho que de um marido, filho ou irmão. Ela chorava com tanta dor que quase parei pra abraçá-la, mas aí lembrei da minha dor também, e fui egoísta. Não fui capaz de largar a minha dor por um segundo, pra ajudar alguém com uma dor pior que a minha. Não consegui. Fui podridão maior no mundo...
    Vou parar de pensar na minha dor, parar de pensar no meu egoísmo só um pouquinho, ajudar as pessoas com mais dor que eu, com tristezas piores que as minhas, com dificuldades maiores.  Eu não to tão mal assim, eu até consigo sorrir de vez enquando, quase consigo dar gargalhadas, as vezes até acho que sou feliz. Acho que dá pra pensar no próximo um pouquinho, né?

    O tempo veio

    26 de set de 2010
    e eu esperando por ela para acabar com isso. Mas eu não esperei. Eu realmente tive medo de ir aonde tinha que ir. Eu me lembro de enquanto eu andava em direção de casa. De quando destranquei a porta e fechei todas as janelas. Tomei um banho.E sentei-me.Eu esperei o telefone tocar e fui pra cama. Eu vivi esse mesmo dia varias vezes. Foram dias severos. Às vezes eu imaginava tocar o rosto dela apenas para não me sentir sozinho.Alguém me disse que a dor iria embora, mas não tenho certeza se ela irá para onde eu quero que ela vá. Eu não gosto de saltar para trás de mim. Porque a dor quer sua alma, quer sua vida e depois quer sua morte também. e você tem que dá-lo.É a única maneira de sentir tudo novo mais uma vez com uma outra
    (...)

    Sinto falta de estar tão confortável sabendo que ela me amava, achando que nada iria nos separar. Ela se foi e eu não posso fazer nada por isso, e essa é a parte mais difícil, é quando você não pode fazer nada sobre e sabe que você quer e você sabe que você faria, se pudesse. Mas você está feliz, se ela está vivendo sua vida na alegria e no amor, Mesmo se não é com você. Você está feliz, Você está feliz porque pelo menos um de nós dois ainda consegue sorrir.

    ( Autor Desconhecido por mim )

    Estou ficando

    25 de set de 2010
    saudável, bonito e corado. Uma gracinha. Só me falta agora arrumar um Grande Amor, assim mesmo, com maiúsculas.


    É tão difícil fazer isso, sabe? Recomeçar do zero minha vida, respirar fundo e dizer "agora eu vou viver!". Realmente muito difícil viver de novo. Parece que tenho que sair do meu casulo, sei lá, nascer de novo. Não consigo controlar minhas atitudes, as vezes, e me pego pensando em coisas que não deveria. Aquelas malditas recaídas que consomem toda a resistência que eu tenho, ou acho que tenho. É completamente estranho fazer coisas que não sou acostumada a fazer. Fazer amizades, poxa, virou algo totalmente surreal pra mim, tipo, quase impossível. Era impossível, não é mais; hoje sou uma menina sociável, engraçada, divertida e extrovertida. Me recuso a viver triste, me recuso a ser sempre a mal humorada do grupinho, aquela que ninguém suporta nem conversar. Sou uma nova pessoa, por dentro, por fora. Respirar novos ares e sorrir amplamente, pra poder levantar a cabeça e dizer " Eu estou vivendo! ". 

    And high up

    24 de set de 2010
    above or down below
    When you're too in love to let it go
    But if you never try, you'll never know
    Just what you're worth.



    Lights will guide you home
    And ignite your bones

    I will try to fix you...

    -Foi lá? -

    23 de set de 2010
    repetiu. - Eu preciso saber. Me diga, foi lá, naquele lugar? Meu Deus, você ainda não esqueceu aquele maldito lugar?

    Aquele maldito lugar não sai da minha mente. Hoje faz oito meses desde que vi os olhos mais lindos do mundo, desde que senti o toque dos meus lábios nos seus. Lembro como se fosse ontem, juro. Lembro do meu nervosismo, de contar cada minuto para te ver, do medo de dar tudo errado, do meu pensamento dois minutos antes de tudo acontecer “será que ainda dá tempo de voltar?”. Ainda bem que não deu. Minha vida não seria a mesma se eu tivesse desistido. Eu tremia, suava frio enquanto sentia seu olhar sobre mim, medindo desde minhas unhas pintadas de vermelho até o ultimo centímetro de cabelo loiro. Você sorriu e de repente não senti mais nada, além do alívio de estar ali, não me lembro de ter me sentido tão feliz depois disso... Você conseguia me acalmar com apenas um sorriso. Sua voz parecia ser a melhor musica pra mim. E seus olhos, Ah! Nem sei o que dizer daquele olhar. Demorei tanto tempo pra conseguir decifrar seu olhar... E mesmo assim poderia passar dias te olhando, te encarando, vendo quem conseguia ficar mais tempo sem rir. Como era difícil não sorrir quando te via.
    Lembro de cada momento, cada frase, juro! Fiquei tanto tempo decorando aqueles momentos, saboreando cada segundo com você. Mas não passou pela minha mente hora nenhuma que seria a ultima vez que te veria. Ainda não acredito nisso, sabe? Não acredito que foi a ultima vez. Tantas promessas pra “próxima vez”. Será que você lembra? Quantas vezes nós já dissemos “a próxima vez que a gente se ver...” e agora faz oito meses que não vejo você. E já a muito tempo nem seu cheiro eu sinto, a carta já perdeu o cheiro a uns bons cinco meses, e nunca mais reconheci seu cheiro em lugar nenhum. Acho que não era o perfume que me fazia lembrar de você, era só imaginar que tinha sido você a ultima pessoa a tocar naquela carta, a aspirar o cheiro de papel... E eu conseguia ver você escrevendo, mordendo os lábios ou colocando a caneta na boca, pensativa. Agora quase não consigo mais. Suas feições mudaram, seu sorriso mudou, seu olhar mudou, você mudou. Não sei se pra melhor ou pior, só sei que eu não consigo esquecer aquele maldito lugar.

    Porque você

    22 de set de 2010
    não pode voltar atrás no que vê. Você pode se recusar a ver, o tempo que quiser: até o fim de sua maldita vida, você pode recusar, sem necessidade de rever seus mitos ou movimentar-se de seu lugarzinho confortável. Mas a partir do momento em que você vê, mesmo involuntariamente, você está perdido: as coisas não voltarão a ser mais as mesmas e você próprio já não será o mesmo.



    Everybody changes. Odeio quando as pessoas me dizem "ah, você mudou" , "nossa, como você tá diferente". É claro que eu tô diferente. Tem gente que fica sei lá, meses sem conversar, e vem me dizer que eu não sou mais a mesma. Porque né? A gente tá em constante mudança, não dá pra ficar parado no tempo, mesmo que deseje isso. Eu até que consegui permanecer a mesma por um bom tempo parada, vazia, fria. Era bom, até. Fácil. Não sentir, não se emocionar, não doer, não amar. Ah, era tão melhor não sentir. Mas não queria essa vida de volta. Porque é bom sentir o sangue correndo pelas veias, é bom sentir as bochechas ficando vermelhas de timidez, é bom sentir as coisas girando com o álcool, é boa a sensação de ser abraçada, tocada.

    Ah! quem me dera se fossem somente coisas boas, como gostaria que fosse simples assim, só a alegria de sentir. Porque sentir também dói. Dói tanto por dentro que chega a ser dor física as vezes. O estômago embrulhando, os olhos se enchendo como pequenos rios de aguas límpidas, e a já tão conhecida sensação do coração sendo partido em mil pedaços. Mas nem dessa parte eu me livraria, a troco de não sentir mais nada. 

    "Se tens um coração de ferro, bom proveito. 

    O meu, fizeram-no de carne, e sangra todo dia."

    não quero

    20 de set de 2010
    dramatizar e fazer dos problemas reais monstros insolúveis, becos-sem-saída. Nada é muito terrível. Só viver, não é? A barra mesmo é ter que estar vivo e ter que desdobrar, batalhar um jeito qualquer de ficar numa boa. O meu tem sido olhar pra dentro, devagar, ter muito cuidado com cada palavra, com cada movimento, com cada coisa que me ligue ao de fora. Até que os dois ritmos naturalmente se encaixem outra vez e passem a fluir. Porque não estou fluindo.

    Não acho que meus problemas sejam insoluveis, ou que minha vida seja um grande saco de merda. Só acho que poderia melhor, se eu quisesse melhorar. Essa é a chave pra me livrar de todos os meus problemas.
    Q U E R E R. Parece fácil, né? Mas não é. Não é nada facil renunciar a tudo aquilo que considero o melhor pra mim, pra ver se minha vida melhorar. Não é facil fingir que tá tudo bem, até que fique realmente bem, e não é NADA fácil ter esperança de que minha alegria vai voltar com tudo.  

    It's hard

    19 de set de 2010
    to get by just upon a smile(...)


    You know I've seen a lot of what the world can do
    And it's breaking my heart in two
    Because I never wanna see you a sad girl
    Don't be a bad girl

    - Mas tantas

     memórias. A gente tem tantas memórias. Eu fico pensando se o mais difícil no tempo que passa não será exatamente isso. O acúmulo de memórias, a montanha de lembranças que você vai juntando por dentro. De repente o presente, qualquer coisa presente.

    Flashbacks de dias felizes, dias alegres e sorridentes, com ou sem sol, pra mim aqueles dias eram lindos, mesmo que meio nublados. Um sorriso, um beijo, abraços, frases perfeitas, "eu te amo" "eu também te amo" "muito?" ''muito. ''. Mais beijos, mais sorrisos. Alegria que contagiava. Embriagada de amor. Consigo ainda sentir o gosto do seu beijo, misturado com lágrimas. Não sei se suas ou minhas. Muitas lágrimas, de alegria, de tristeza, da saudade que já começava a doer. “Eu não quero ir embora” “Eu não quero que você vá". O ultimo beijo, um pensamento. Não foi o ultimo beijo, eu ainda vou voltar aqui. Eu ainda vou voltar aqui. Despedida digna de filme barato, você volta correndo, “eu te amo muito" "eu também te amo muito". Não podia ter sido a ultima vez. Não te disse tudo que queria te dizer, não te beijei tanto quanto desejava, não falei que te amava tantas vezes quanto pretendia. Deixei pra próxima vez, porque é claro que haveria uma próxima vez. Não teve. Vai ter, eu sei que vai. Eu te prometi que você me buscaria naquela maldita rodoviária mais uma vez. Eu cumpro minhas promessas, sempre. Eu te prometi que te amaria pra sempre, e eu cumpro minhas promessas.

    Virava pra lá

    18 de set de 2010
    e pra cá na cama. Estava impaciente {...}

    Até me sentei no escuro.

    Pensei: Não era uma posição o que eu procurava.

    Era você.


    Sono, cansaço, tristeza, desgaste físico e mental, tudo junto. Quero sumir! Queria esquecer tudo, recomeçar minha vida do zero. Não agüento mais essa maldita insônia que me deixa cada dia mais cansada e mal humorada, não suporto mais fingir, não dá mais pra me enganar, enganar aos outros é fácil. Um sorriso falso parece o mais real do mundo quando quero, mas por dentro dói, dói muito mais do que eu achava que conseguia agüentar. Cada parte de mim grita o quanto está doendo, cada minúscula parte do meu corpo me diz pra parar de fingir, pra parar de fugir dos problemas e das tristezas. Eu não vou parar, tenho meu plano: fingir até que eu acredite na minha própria mentira, e assim, talvez, consiga ser feliz. 

    ...e lembro que pensei:

    16 de set de 2010
    'agora o telefone vai tocar' e o telefone não tocou [...] então pensei: 'agora a campainha vai tocar' mas a campainha também não tocou,e eu continuei por muito tempo,sem salvação,parada ali,no centro da sala [...] sem fazer absolutamente nada,além de respirar!


    Me senti quase querida hoje, quase especial. Foi por pouco que não senti aquele calorzinho interior, aquela chama que chamam de felicidade. Fiquei rodeada de pessoas que me adoram, fui abraçada varias vezes, ouvi varias pessoas me desejando tudo do bom e do melhor, e mesmo assim não me senti realizada, feliz. Não deu. Faltava alguma coisa, faltava um abraço e uma voz acolhedora. Faltava uma pessoa. Só uma pessoa, e meu dia ficariam feliz, completo. Passei todo meu dia pensando se ela se lembraria, o que diria, se eu poderia ouvir sua voz acolhedora mais uma vez. Sonhei alto demais, e a queda foi menor que eu esperava, mas doeu... Doeu porque poderia ter sido melhor, mais feliz, mais acolhedor, poderia ser acompanhado de um “eu te amo” ou de um “sinto sua falta”. É claro que não foi, mas nem custa sonhar né. Foi bom, só poderia ter sido melhor. 

    Eu tenho sonhos,

    15 de set de 2010
    mas não hoje. Feche a porta e apague a luz, por favor. – E se o telefone tocar diga que eu morri que estou mortinha da silva, estirada no chão da sala com o coração na mão. Diga que retirei meu coração com a mão – ele estava doendo de mais.

     To com uma preguiça imensa de pessoas. Não só de pessoas, de tudo. De computador, de musica, de escrever, de estudar, de carros, dos meus amigos... Queria me enfiar numa bolha e sumir, S U M I R. Desaparecer por um bom tempo, até todo mundo me esquecer, até ficar tudo bem, até eu colocar minha cabeça em ordem e meu humor no lugar certo. Até eu parar com esse maldito humor negro, com esse sarcasmo e a ironia que todo mundo odeia. Até eu parar de ser grossa e mal educada até com que não merece. Sumir enquanto a bagunça acontece, fugir do terremoto, e voltar só quando estivesse tudo em ordem, mesmo que demorassem séculos. Aliás, até gostaria que demorassem séculos mesmo. 

    Nada por dentro

    14 de set de 2010
     e por fora além daquele  sábado, daquele vento, daquele céu azul – daquela não-dor, afinal.



    Sabe a tal da mala de emoções e sentimentos? Eu reclamava de não conseguir encontrar o sentimento certo, de não conseguir achar algo que me fizesse bem. Agora tenho um problema maior, não consigo nem ao menos abrir a mala. Aliás, nem acha-la. Parece que foi extraviada pra algum lugar beem distante, e nunca mais vou encontrá-la. Não consigo sentir nada, nem tristeza, nem dor, nem emoção, nem raiva, simplesmente não sinto. E por não doer, me incomoda. Porque deveria doer, eu deveria sentir algo, eu deveria me emocionar, eu deveria me empolgar, me importar. Mas nada acontece, não encontro nada que me comova, ou me mova desse estado de cataplexia.
    Na verdade, eu não poderia dizer que não sinto nada, pois sinto a única coisa que eu não poderia sentir, pela única pessoa que não poderia sentir, e sem estimulo nenhum. E é isso o pior. 






    Gosto de pessoas doces,

    13 de set de 2010
    gosto de situações claras; e por tudo isso, ando cada vez mais só. 

     Era uma vez uma menina que tinha muitos amigos, ela era muito feliz e divertida. Ela gostava de sorrir e fazia as pessoas sorrirem com muita facilidade. Um certo dia, essa menina parou de sorrir, ela sentia como se não soubesse mais sorrir, e não soubesse ser engraçada e divertida mais. Ela achou que ainda teria seus amigos, que eles lhe dariam motivos para sorrir... Doce ilusão, da menina. Aqueles que ela achou que eram amigos, fugiram antes mesmo da primeira lágrima. Ela aprendeu que sorrisos são imãs para a amizade, enquanto a tristeza faz desaparecer tudo o que é falso... E assim a menina descobriu que não tinha amigos, que estava sozinha, e decidiu então permanecer sozinha, assim ela não precisaria sorrir falsamente, nem se espantaria quando estivesse solitária na hora das lágrimas...

    Enregelados, atravessamos agostos

    11 de set de 2010
    que parecem eternos e, nos setembros, suspiramos quase leves outra vez: “Meu Deus, passou”. O que vezenquando é puro engano: há pequenos agostos embutidos no entremeio dos doidos setembros.

    Inferno astral é uma merda. Parece que tudo dá errado, Lei de Murphy comanda a minha vida. Dá vontade de dormir o dia inteiro, não sair de casa, não conversar com ninguém, não mover uma palha, assim não corro o risco de nada dar errado, não corro o risco da minha vida desabar, de novo. Nessa época não faço planos, não combino nada com ninguém, porque certamente vai dar errado. Meus aniversários não são boas memórias, não me trazem boas lembranças, e esse ano não parece ser diferente. Vou torcer pra um milagre acontecer, e meu aniversário ser menos 'marcante' esse ano.

    Me mande mentalmente

    9 de set de 2010
    coisas boas. Estou tendo uns dias difíceis — mas nada, nada de grave.

    Caio Fernando Abreu

    Dias escuros sem sorrisos, sem risadas de verdade. Dias tristes, vontade de fazer nada, só dormir. Dormir porque o mundo dos sonhos é melhor, porque meus desejos valem de algo, dormir porque não há tormentos enquanto sonho, e eu posso tornar tudo realidade. Quando acordo, vejo que meus sonhos não passam disso, sonhos; e é assim que cada dia começa: desejando que não tivesse começado, desejando viver no mundo dos sonhos, ou transformar meu mundo real num lugar que eu possa viver, não sobreviver. 

    Ah. Menina

    8 de set de 2010
    o que foi que aconteceu com você? O que foi que fizeram com você? Eu não sei, eu não entendo. Roubaram a minha alegria (...)
    Dizem que a gente aprende a amar da forma certa. Não existe uma forma certa de amar, poxa. Ou você ama intensamente e incondicionalmente, ou você não ama. Não tem dessa de maneirar no quanto vai se entregar, ou entregar só metade do coração. Amor não é coisa que se mede ou que se cuida pra não ser demais. Deixa acontecer.E se não acontecer, não dá pra insistir, não dá pra fingir que ama, não dá pra forçar o sentimento, por mais que tente. Não dá.

    Como é bom

    6 de set de 2010
    poder ligar e dizer: "aconteceu algo terrível, sinto que não vou suportar" e ouvir: "senta e me espera, tô indo agora te ver".



    Nunca achei que teria um amigo em que pudesse confiar todos os meus segredos, nunca achei que encontraria alguém tão parecido comigo, e tão diferente, ao mesmo tempo. E quem diria, tenho esse amigo desde antes de saber que eu era gente. Não tenho palavras pra dizer o quanto sou grata a você por ser o amigo maravilhoso que você é, por aguentar meus surtos, pra rir comigo das coisas mais idiotas, por chorar comigo e me fazer chorar, por me mostrar o quanto você é importante. Obrigada por estar sempre ao meu lado, mesmo quando eu achei que não suportaria ter alguém ao meu lado. Muito obrigada por ter suportado cada momento de crise e idiotice, por morrer de tanto beber comigo e me fazer andar mais do que nunca achei que andaria, conhecer pessoas que nunca achei que conheceria, e sorrir quando achei que nunca mais sorriria. Espero estar com você nos próximos 19 anos, e mais! 
    Te amo, Felipe! ♥

    Diálogo interior.

    - Você não consegue ignorá-lo não é?
    - Não.
    - Então pense em não pensá-lo consegue?
    - NÃO DÁ!
    - É claro que dá, tudo tem um jeito.
    - Isso não é jeito, é maneira.. é aprendizado.
    - Você gosta muito dele não é?
    - É.
    - Não vai conseguir esquecê-lo né?
    - Eu preciso.
    - Vem cá amor... deixa levar.
    - E a dor? O que eu faço com ela?
    - Shiu... dorme, meu bem.. Vai passar, como todas as outras coisas.


    Texto da Ray


    Tem que passar... Pode demorar o quanto for, desde que passe ou volte a ser como era antes. 

    Porque é preciso coragem

    4 de set de 2010











    para se arriscar num futuro incerto. Não posso esperar. Tenho tudo pronto dentro de mim e uma alma que só sabe viver presentes. Sem esperas, sem amarras, sem receios, sem passados.


    Nada é como queremos, nada parece funcionar como deveria. Minha mente e meu coração não entram em acordo em nada, tudo que meu coração quer, a mente reprime, os desejos da mente são bravamente combatidos pelo coração. As emoções são um amontoado de sentimentos, uma bagagem enorme e confusa, onde eu procuro encontrar o que preciso. O sentimento que me faria sentir bem. Não o encontro.
    Uma mala cheia de emoções, completamente desorganizada, os sentimentos que tanto desejo parecem estar escondidos entre vários outros, de propósito eles se cobrem e disfarçam, não me deixam encontrá-los por mais que eu tente. 
    Tento acreditar que amor se constrói, que é preciso ser alimentado e regado para que floresça e vire um jardim. Alimento meu jardim todos os dias, dou sol, água e carinho, mas ele continua estagnado, não reage, parece que as plantas todas morreram, só sobraram folhas secas de coração, as memórias despedaçadas e esfrangalhadas de um passado nem tão distante, e água nenhuma faz esse passado voltar. 
    A saída é continuar procurando amor onde há chance de ser amado, ao invés de me manter olhando pro jardim destruido. 

    Não sei se o mundo é bom,

    3 de set de 2010
    mas ele ficou melhor quando você chegou e perguntou:
    Tem lugar pra mim?


    Realmente, você tornou meu mundo melhor, sem nem perceber : )

    E o que é que você vai fazer?

    2 de set de 2010
    Não há mais nada a ser feito. Ficar desesperado e arrancar os cabelos não resolve nada. Nós estamos tranqüilos. Se o mundo acabou mesmo nós somos o novo mundo. E se não acabou, daqui a pouco amanhece e acontece alguma coisa. De qualquer maneira nós temos que ficar aqui esperando.





    As vezes acho que não adianta nada esperar que as coisas aconteçam. Acho que não existe pré destinação, não tem dessa que tá tudo escrito, sabe? Acho que nosso futuro é a gente que faz, e que temos todo o poder do mundo de mudá-lo. Quando a gente não gosta de uma coisa tem toda a capacidade de transformá-la em algo que nos agrade, quando uma situação nos desfavorece, temos a obrigação de fazer algo para corrigir isso.  Não adianta reclamar de algo e não lutar pra mudar isso, não faz sentido sofrer por alguém que vemos que não nos trás benefícios, e não vale a pena insistir em algo que não tem futuro.

    Parece que as pessoas se prendem ao passado, a coisas posteriores que já não adicionam nada além de desilusão e sofrimento. O passado foi feito pra ser relembrado de forma saudável, não pra ser remoído nem pra cutucar feridas.  O passado não vai nos garantir o futuro nem melhorar o presente, então é melhor guardá-lo onde não podemos vê-lo, até que deixe de nos fazer mal, e vire uma boa recordação. 
    Mesmo que remexer o passado seja realmente tentador...

    Fazia muito tempo

    1 de set de 2010
    que eu não tinha vontade de sorrir para nada nem para ninguém, então era extraordinário que ela conseguisse perturbar assim os cantos de meus lábios...


    Antigamente eu me esforçava pra sorrir, era raríssimo ouvir uma das minhas gargalhadas espalhafatosas. Tinha que me concentrar para conseguir fazer um sorriso parecer real, pra parecer que eu conseguia ver a luz, o céu. Hoje é difícil conter meu sorriso, é impossível não perceber como estou contente. Minhas risadas tão características voltaram a aparecer e chamar a atenção das pessoas. Meu sorriso não é mais falso, e agora tenho que me esforçar pra não rir como boba todo o tempo. Até quando estou triste você consegue me arrancar um sorriso, até quando finjo de séria você me faz rir. 

    E eu sou eternamente grata a você.